O Que É Dinheiro em Espécie?

As expressões “dinheiro em espécie” ou “pagamento em espécie” são bastante comuns em nosso cotidiano, mas nem sempre há clareza sobre o que elas significam. Por isso, no artigo de hoje vamos explicar melhor o que quer dizer dinheiro em espécie e como ele faz parte de nossa vida financeira.

Qual é a definição de dinheiro em espécie?

Respondendo logo de início a pergunta central, pagamento em espécie é aquele feito com notas e moedas. A expressão se distingue de outras formas de pagamento, como o cartão e o cheque, que não utilizam dinheiro “real”. Para esclarecer, vamos imaginar a seguinte situação:

Você vai até a padaria do Sr. Manoel e paga a compra que fez com um cartão de débito. O banco deposita esse valor diretamente para conta do Sr. Manoel, que o transfere para pagar seus funcionários.

Pensando nesse exemplo, o valor passou da sua conta para a conta do Sr. Manoel e depois para um funcionários sem que nenhuma dessas pessoas de fato tivesse o dinheiro em mãos. Isso demonstra como hoje o dinheiro possui uma espécie de “virtualidade”, ou seja, uma existência que não depende da materialidade de notas e moedas.

Dinheiro em espécie: notas de real

Dinheiro em espécie: notas de real

Quando falamos em dinheiro em espécie, voltamos para essa materialidade do dinheiro físico, impresso em notas e moedas – que, na verdade, também são representações de valores. Você pode usar dinheiro em espécie em diversas situações do dia a dia, ainda que ele esteja perdendo espaço para outras formas de pagamento.

Moeda estrangeira

As pessoas que já viajaram para o exterior sabem o quanto é importante levar dinheiro em espécie na moeda estrangeira. Mesmo que a maior parte dos pagamentos seja feita com cartão de crédito ou cartão pré-pago, o dinheiro em espécie, ou seja, notas da moeda local vão ajudar bastante na hora de pagar pequenas despesas ou para resolver problemas emergenciais.

Esse dinheiro em espécie também ajuda a evitar as oscilações da moeda. Se você vai comprar dólares, por exemplo, ir juntando pequenas quantidades periodicamente antes de viajar pode ser uma boa opção para conseguir uma cotação justa. Em vez de comprar tudo de uma vez, você vai guardando pequenas quantias quando a taxa de câmbio parecer vantajosa. Assim os custos da viagem ficam mais em conta.

Declaração no Imposto de Renda (IRPF)

Quem tem moeda nacional em espécie pode ter que declará-la em seu imposto de renda anual. Para o IRPF 2015, por exemplo, quem tinha na carteira ou em casa valores superiores a R$140 em 31/12/2014 precisaria declarar o montante na categorias “Bens e Direitos”. Não há limite para declaração, desde que você informe o tipo e a quantia possuída. A regra vale para pessoas obrigadas a fazer a declaração do imposto de renda, com base nas regras estabelecidas anualmente.

Vale destacar também que os pagamentos feitos com moeda em espécie são mais difíceis de serem rastreados que os feitos com cartão ou cheque. Por isso, é muito comum que esse tipo de transação seja usado para sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. A dica é tomar alguns cuidados quando recorrer a esse tipo de pagamento para valores mais altos e sempre solicitar a nota fiscal.

[/caption]

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *