Conta Corrente ou Conta-Corrente?

Que ter uma conta bancária é algo bastante importante atualmente todo mundo sabe. Porém, hoje vamos abandonar um pouco os assuntos financeiros para tratar de algumas dúvidas da língua portuguesa: o correto é conta corrente ou conta-corrente? Como devo escrever? A escrita mudou como o novo acordo ortográfico?

Na verdade, não existe um consenso sobre qual é a forma mais correta de se escrever a expressão. Alguns dicionários optam pelo uso do hífen, enquanto outros preferem a as duas palavras separadas. Os especialista na língua portuguesa também divergem em relação à escrita mais adequada.

O que temos na composição da expressão é um substantivo e um adjetivo que o qualifica. Uma conta pode ser corrente, bancária, conjunta, especial, simples ou empresarial, por exemplo.

De um modo geral, os substantivos qualificados não necessitam do uso de hífen. Assim como não escrevemos “moça-bonita” ou “texto-longo”, também não precisaríamos unir a expressão conta corrente. Porém, a dúvida que surge é se há ou não um substantivo composto.

Outras expressões iniciadas com “conta” como “conta-gotas” ou “conta-giros” são separadas por hífen, mas tem significado bem diferente de “conta corrente”, pois não há relação direta com o verbo “contar”.

Dúvida: o certo é conta corrente ou conta-corrente?

Dúvida: o certo é conta corrente ou conta-corrente?

De acordo com  Laércio Lutibergue, do blog Português na Rede:

O hífen nesse caso é bobagem, porque não há a formação de substantivo composto. Trata-se apenas de um substantivo qualificado por um adjetivo, como ocorre em “conta bancária”, “conta especial”, “conta conjunta”, “conta gorda”.

Ou seja, o professor e consultor linguístico defende que não há necessidade de hifenizar “conta corrente” porque não há formação de um substantivo composto.

Porém, nem todos pensam da mesma forma. No site CiberDúvidas da Língua Portuguesa encontramos a seguinte resposta para uma questão sobre o uso de hífen ou não em “conta corrente”:

Conta-corrente. Com hífen, portanto. É assim que já se encontra registrado em vários dicionários, como, por exemplo, no Grande Dicionário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (edição Amigos do Livro, Lisboa), no da Porto Editora ou no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Editora Objetiva, Rio de Janeiro): “Inscrição em instituição bancária que dá direito a utilizar os serviços da mesma (p. ex., receber salário, guardar dinheiro, emitir cheques, fazer transferência de dinheiro para outro correntista, pagar fatura em sistema de débito automático, etc.)”. Mas também: “Escrituração do crédito e do débito de alguém”. Como outros componentes similares (conta-gotas, conta-fios, conta-quilômetros, etc.), a significação única obriga ao uso do hífen.

Aqui, argumenta-se que o significado único requer a utilização do hífen. Porém, como vimos, a questão é bastante interpretativa, pois depende de como se entende a expressão.

É preciso lembrar que nem sempre existem regras claras sobre a língua portuguesa ou qualquer outra língua. Nossa gramática é passível de interpretações e discussões, porque a linguagem está passando o tempo todo por transformações.

Nesse caso, ao que parece, não existe certo ou errado. Aqui no blog, preferimos usar a expressão “conta corrente” sem hífen, mas entendemos que a escolha pode parecer equivocada para outras pessoas.

Importante: com relação ao plural de conta corrente, o correto é flexionar tanto o substantivo quanto o adjetivo. Assim, o certo seria contas correntes ou contas-correntes.

[/caption]

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *