Como Comprovar Renda Sendo Autônomo?

Muitas transações financeiras exigem um comprovante de renda. Para conceder crédito, como em empréstimos, financiamentos e cartões, bancos e financeiras costumam pedir que o cliente comprove sua renda mensal. Esse documento é usado para que a instituição verifique o risco de concessão do crédito, bem como para que seja calculado um limite com base na renda apresentada.

Por ter tantas utilidades, os comprovantes de renda são bastante importantes. O problema é que nem todos têm clareza sobre quais documentos podem ser usados para comprovar renda. Para profissionais autônomos, a ausência da carteira assinada ou holerite torna a comprovação um pouco mais complicada, mas existem alternativas para que essas pessoas possam declarar a renda recebida.

O que serve como comprovante de renda?

O tipo de comprovante de renda solicitado vai depender muito da instituição ou estabelecimento que está pedindo o documento. Normalmente, serviços mais complexos, como contratos de aluguel ou solicitações de financiamentos, exigem comprovantes oficiais. O que a maior parte das instituições aceita como documento nesses casos são: holerite dos últimos meses, carteira de trabalho, declaração atualizada do imposto de renda ou a DECORE. Em outras situações, também são aceitos outros documentos, como o extrato bancário de meses recentes.

Quem não tem um contracheque precisa apresentar outros documentos como comprovante de renda

Quem não tem um contracheque precisa apresentar outros documentos como comprovante de renda

Para facilitar a informação, vamos listar os principais comprovantes que podem ser usados por autônomos e profissionais liberais:

DECORE

A Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos, conhecida pela sigla DECORE é um documento emitido por um contador para a comprovação de renda. A declaração é comumente utilizada por empresários, profissionais liberais e autônomos como comprovante oficial de renda para substituir o contracheque ou a carteira de trabalho. A validade da DECORE depende do profissional que a emitiu. Ela precisa ser feita por um contador registrado no Conselho Regional de Contabilidade.

Para obtenção da declaração é necessário procurar um escritório de contabilidade para saber quais documentos você precisará apresentar previamente. Com base no levantamento feito o profissional declará a renda na DECORE e o documento poderá ser usado em diversas situações, incluindo a solicitação de crédito em bancos.

Declaração do Imposto de Renda

As informações contidas na declaração do Imposto de Renda podem ser usada na comprovação de renda. O problema desse documento é que a declaração se refere ao ano anterior, o que torna os dados um pouco defasados. Por isso, para que ela tenha validade, as instituições financeiras poderão solicitar documentos complementares que ajudem na atualização do que foi declarado no IRPF.

A dica, nesses casos, é conversar com quem pediu o comprovante de renda para saber como a declaração do imposto de renda pode ser usada. O próprio extrato bancário, que mencionamos antes, costuma ser aceito como documento complementar. A somatória de possíveis comprovantes pode funcionar melhor, mas tudo vai depender do solicitante.

Extrato Bancário

É preciso enfatizar, mais uma vez, que o extrato bancário nem sempre é aceito como comprovante de renda. Contudo, caso a instituição aceite esse documento, é importante que  autônomo tome alguns cuidados para tornar o comprovante mais “sólido”.

É preciso que o extrato bancário reúna informações sobre, no mínimo, os últimos 3 meses. No entanto, se o período de cobertura for maior será mais fácil que ele seja aceito parra comprovação. Outra forma de melhorar o comprovante é pedir para que o gerente do banco assine o extrato. Mais uma vez, vale a pena conversar com o solicitante para esclarecer possíveis dúvidas.

[/caption]

Comentários
  1. Najla Braga
    • Flávio

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *