Quais os nomes do dinheiro?

Atualmente, podemos dizer que é praticamente impossível viver sem dinheiro. É com ele que compramos itens básicos para a nossa sobrevivência e, como todos sabem, é preciso trabalhar para receber o dinheiro como recompensa.

Mas nem todos tratam as notas e moedas pelo nome “dinheiro”. Você já deve ter ouvido alguém falando outras palavras para se referir a ele. Vamos contar um pouco da história do dinheiro e apresentar como que ele pode ser chamado por outros nomes, ou pelo menos já foi chamado há anos atrás.

Primeiro você precisa saber que o termo “dinheiro” vem de denario, palavra latina utilizada para se referir à quantidade de dez asses, a menor moeda utilizada durante o Império Romano. Agora veremos outros nomes pelo qual o dinheiro é chamado.

Barão: Nas cédulas de 1 mil cruzeiros, que circularam entre 1978 e 1989, havia o rosto do Barão do Rio Branco, por isso as notas eram chamadas de “Barão”. Hoje em dia ainda é possível encontrar pessoas que utilizam este termo.

Cédula de 1 mil cruzeiros com o rosto do Barão do Rio Branco

Bufunfa: Este nome é muito comum. É normal que as pessoas se refiram ao dinheiro usando a palavra “bufunfa”, principalmente quando se referem a uma grande quantia. A palavra remete a grandes quantidades de dinheiro.

Cabral: O navegador Pedro Álvares Cabral, descobridor do Brasil, também já foi homenageado nas notas de 1 mil cruzeiros, que circularam entre 1963 e 1970. Por isso era comum chamar o dinheiro de “Cabral”.

Nota de 1 mil cruzeiros com o rosto de Pedro Álvares Cabral

Conto: O termo “conto” foi retirado de outro termo, “conto de réis”, que era usado para se referir a mil cédulas (ou mil moedas) de 1 mil réis, a moeda em circulação no Brasil durante o período de colonização por Portugal.

Dindim: É bastante comum vermos pessoas utilizando este termo para se referir ao dinheiro. Essa palavra tem relação com o barulho de moedas caindo em alguma superfície.
Grana: O termo “grana” vem de grão, pois desde a Antiguidade, os grãos são considerados sinônimo de riqueza.

Merréis: Este é outro vocábulo bastante comum até hoje, principalmente entre as pessoas mais velhas. O termo “merréis” vem da expressão “1 mil réis”. É que na época do Brasil Colônia, a moeda também se chamava real, porém, o plural de real era réis.

Pé de Meia: Esse termo é muito utilizado atualmente, principalmente quando alguém se refere a tentar a sorte em relação ao dinheiro, ou a uma poupança, especialmente quando se refere a dinheiro guardado em casa. Essa expressão teve início quando várias pessoas tinham a ideia de guardar o dinheiro em meias velhas, onde provavelmente ninguém procuraria.

Pila: Esta história é bem curiosa: a palavra “pila” vem do político gaúcho Raul Pilla, secretário da agricultura do Rio Grande do Sul em 1936 e um dos líderes da Revolução Constitucionalista de 1932. Segundo contam os historiadores, ele prometia dinheiro aos eleitores para que votassem nele, mas entregava somente metade da nota antes da votação, e a outra metade ele prometia entregar se fosse eleito. Ao deixar a cabine, esses eleitores davam o voto ao fiscal eleitoral dizendo o nome do candidato “Pilla”.

Tutu: É bem comum ouvir a expressão “fulano está cheio do tutu”. Isso quer dizer que fulano está cheio de dinheiro. Segundo histórias antigas e não confirmadas, “tutu” era um termo bem antigo usado na região das montanhas centrais de Angola que possui o significado de “presente para subornar o juiz”.

[/caption]

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *