O que É e Como Usar um Travel Check

Quem pretende viajar para fora do país precisa pensar bastante nas formas de pagamento que utilizará durante a viagem. As mais comuns certamente são o cartão de crédito e o cartão pré-pago, além, é claro, do dinheiro em espécie. Existe também o travel check, que já foi mais utilizado, mas vem perdendo lugar para os cartões. Hoje vamos falar um pouco mais sobre o funcionamento do travel check, bem como sobre suas vantagens e desvantagens.

Como funciona o travel check?

O funcionamento do travel check não é muito diferente dos cheques comuns que usamos para pagamentos aqui no Brasil mesmo. Trata-se de um papel que pode ser adquirido em casas de câmbio e bancos. No momento da aquisição, o comprador paga pela taxa de câmbio do dia conforme as normas do estabelecimento.

Para utilizá-lo, é necessário encontrar um comércio que aceite o travel check como forma de pagamento. Quem recebe o papel precisa trocá-lo por dinheiro, do mesmo modo como descontamos um cheque comum. O viajante também tem a opção de trocar seu travel check por moeda local em alguma instituição financeira do país onde está.

Vantagens

O que travel check tem de mais interessante é a segurança. Com ele, o turista tem a possibilidade de viajar levando valores maiores sem correr o risco de ter dinheiro em espécie em mãos. Por essa razão, o uso do cheque de viagem pode ser indicado para quem vai fazer uma viagem de negócios, por exemplo, e precisa utilizar grandes quantia de dinheiro estrangeiro nas negociações.

A dica, nesses casos, é ter algum tempo para pesquisar casas de câmbio no local de destino para encontrar uma boa taxa de conversão. Do contrário, os custos da transação podem ser muito altos, já que esses estabelecimentos têm noção de que o viajante tem certa urgência em trocar o cheque por dinheiro. Se possível, procure por casas de câmbio antes de viajar para encontrar as com taxa mais vantajosa.

Travel Check da American Express

Travel Check da American Express

Desvantagens

Com o surgimento dos cartões pré-pagos de viagem o travel check se tornou menos interessante porque os estabelecimentos comerciais costumam descontar uma porcentagem ao aceitar o cheque como forma de pagamento. Os cartões não oferecem esse problema, porque as parcerias com bandeiras garantem a aceitação em diversos países.

Como vimos antes, a taxa de conversão para troca em casas de câmbio tende a ser pouco vantajosa para o turista, uma vez que a necessidade de troca eleva as taxas de câmbio. Além disso, com a padronização do IOF para transações no exterior, que agora é de 6,38% para todas as formas de pagamento, nem mesmo os impostos fazem com que o travel check seja uma boa primeira opção para os viajantes.

Mais opções de pagamento

Se você está pensando em viajar para o exterior, o que recomendamos é uma boa pesquisa sobre todas as formas de pagamento disponíveis. Os cartões pré-pagos têm a vantagem do câmbio pré-definido no momento em que o viajante coloca o saldo. Por outro lado, os cartões de crédito possibilitam o ganho de pontos nos programas de recompensas, o que pode ser interessante até mesmo em próximas viagens. Também é fundamental ter algum dinheiro vivo para pequenos pagamentos durante a estadia. O travel check pode ser uma opção mais antiquada, mas também tem suas serventias.

A questão é refletir sobre como você vai utilizar as formas de pagamento para fazer a escolha certa.

[/caption]

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *