Mudar a Dívida de Banco: Vale a pena a Portabilidade?

Transferir suas pendências entre o banco de origem e outro que ofereça uma melhor forma de pagamento é um direito de todo cidadão previsto nas leis que regulamentam o setor. Porém muita gente não sabe que essa possibilidade existe, nem como solicitar a transferência.

No post de hoje vamos te explicar como funciona a portabilidade e tentar sanar as principais dúvidas a respeito deste assunto.

O que é a Portabilidade?

A portabilidade é um recursos criado pelo Banco Central do Brasil, através da resolução 4.292 onde estabelece normas e procedimentos que tornam possível a transferência de dívidas entre as instituições financeiras.

O procedimento é bastante simples, para solicitar esta transferência basta o cliente devedor entrar em contato com a instituição para onde deseja levar a dívida. Após ser informada do interesse, esta instituição entrará em contato com o banco onde a dívida foi originada e solicitará a transferência.

Ao ser informado da solicitação do cliente o banco de origem da dívida tem um prazo de até 5 dias úteis para encaminhar as informações para o novo financiador. Nesse processo não se deve ter alterações em prazos, valores e limites, ou seja, a portabilidade não pode ser usada como uma forma de conseguir mais dinheiro emprestado.

portabilidade

Faça as contas e veja se a dívida ficará mais barata em outro banco

Vale a pena mudar de Banco?

Para responder essa pergunta você precisa pesquisar bem antes de tomar qualquer decisão. Acontece o seguinte, para os banco é muito vantajoso que você tenha uma dívida junto à instituição, pois é através da cobrança de juros que eles ganham dinheiro. Portanto é muito comum que ao solicitar a transferência você recebe uma contra-proposta do seu banco, na tentativa de fazer você mudar de ideia.

Essa concorrência entre as financeiras pode ser bastante vantajosa para o cliente, uma vez que as taxas e formas de pagamento tendem a ser melhoradas, facilitando o pagamento da dívida inicial. Mas vale ficar atento à essa negociação, pois o banco pode oferecer uma condição melhor na tentativa de não perder o cliente, porém ele não pode dificultar a transferência da dívida ou te oferecer benefícios apenas no esquema de “venda casada”.

Essas práticas ferem o direito o consumidor e podem ser objeto de queixas e processos, em toda negociação preze para que os direitos de todas as partes sejam respeitados. Caso você não saiba exatamente qual o regime atual da sua dívida, existe também a possibilidade de solicitar essas informações junto ao banco, que possui apenas 24h de prazo para te responder.

É sempre importante ressaltar que o consumidor tem pleno direito de acesso à informação clara e correta, assim como sua atual agência financeira não pode tomar nenhuma ação prejudicial à você como retaliação pela portabilidade.

Ou seja, você não pode ser penalizados em nenhuma forma, como redução do limite do cheque especial, ou bloqueio de qualquer outra linha de crédito já disponibilizada, devido à sua escolha de transferir sua dívida. Em outras palavras, fique atento aos seus direitos e faça valer cada uma deles.

Ficou com alguma dúvida? Já passou por alguma situação onde o banco de origem da dívida se recusou ou dificultou a transferência? Conta pra gente como foi e se você conseguiu resolver o caso, vamos adorar conhecer sua história.

[/caption]

Comentários
  1. willian

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *